::Grupo1::Grupo2::Grupo3::Grupo4::Grupo5::Grupo6::Grupo8::Grupo9::Grupo10:

bkcl1a.gif



Relacionando as necessidades do dia-a-dia da escola com os apontamentos do autor, comente:


"A novidade mais importante é que agora a educação escolar é compulsória para todas as crianças, as quais têm o direito de entrar no sistema escolar correspondente à educação básica e percorrê-lo sem a ameaça da repetência ou da exclusão. A escola seletiva transformou-se em escola para todos."


Para inserir seus registros, clique em EDIT; faça suas considerações,
lembrando de colocar seu nome e a DATA; salve clicando em SAVE.
----
Como ensinar em uma escola para todos?
Hoje a escola não pode mais ser excludente e sim saber trabalhar com as diferenças. O professor tem que ter uma nova postura em sala com seus alunos, onde o ensino e a aprendizagem acontece na troca entre eles. Para isso é necessário que sejamos constantemente em aperfeiçoamento, onde havendo as trocas e a reflexão de sua prática em conjunto com outros professores poderemos encontrar novas soluções aos problemas enfrentados em sala de aula. Se formos bem preparados poderemos levar o aluno ao sucesso respeitando a individualidade de cada aluno.
Simoninha ( Tancredo)
14/07/2006






Como ensinar em uma escola para todos?
Na escola de ontem os professores eram preparados para dar bem os conteúdos e bons exercícios de fixação, quanto aos alunos estes deveriam ter excelente comportamento. Quanto a aprendizagem os que não conseguissem atingir o mínimo esperado eram eliminados paulatinamente da escola. Atualmente este posicionamento inverteu-se, e a escola com qualidade, tem o dever de incluir a todos, sem excessão e sem ameaça de repetência. Portanto ensinar, nesta escola para todos, é um grande desafio, onde educadores estão em constante processo de qualificação profissional, investimento pessoal e institucional, bem como os educandos, construindo suas habilidade e competências num processo de desenvolvimento contínuo e sistemático, onde se respeita a individualidade e a realidade de cada um.
Elisabete e Zélia - Data 13/07/06