Tarefa 4


external image eleve_prof-12.gif


Imagem em http://gifs.bestgraph.com/ecole/eleve_prof/eleve_prof-12.gif

A escola é constituída por uma cultura das semelhanças. "Ainda somos dominados por um modo de pensar, por um cotidiano e por uma organização escolar que ainda não 'esqueceu', que ainda tem 'saudades' da cultura anterior", diz Lino de Macedo e nos questiona:

    • Como sair deste padrão ou modo de pensar?
    • Como praticar a cultura das diferenças?
    • Como desaprender a se relacionar preferencialmente pela semelhança?
    • Como conviver em um sistema aberto, complexo, de múltiplas possibilidades?

::Tarefa proposta em 08/06/06::


Para inserir seus registros, clique em EDIT; faça suas considerações, lembrando de colocar seu nome e a DATA; salve clicando em SAVE.


Observando o ser como alguém único, aproveitando as semelhanças e as diferenças existentes neste ser, combinando-as, de modo a perceber que a complementação nos torna independentes e especiais. Redimensionar conceitos é abrir espaços a novas percepções e novas atitudes.
Suzete Simone e Janete

Para o conhecimento as diferenças e semelhanças são igualmente fundamentais. A identidade resulta do modo como as combinamos. Márcia e Zelia

Resgatar a importância do respeito as diferenças, perceber que quanto mais excluímos as diferenças menos conhecimentos adquirimos e se utilizarmos as duas formas podemos construir uma escola onde os valores principalmente o respeito pelas diferenças se transforme em lugar prazeroso para se conviver.
Stela – Rosa

Geovana e Maria Izabel A constante atualização dos professores e demais envolvidos na educação favorece o atendimento adequado e o crescimento do educando, de acordo com as possibilidades ( sem rótulos, discriminação, opressão), favorecendo a melhora da auto-estima, iniciativa própria, alegria em aprender e conviver .Salientamos que todo esse processo deve se estender à família e a sociedade.

Em primeiro lugar devemos rever nossos conceitos,acreditando em nossas possibilidades e diferenças.A partir
deste momento devemos trabalhar as habilidades e competências,não a valorização das semelhanças,mas sim a ligação de inclusão do diferente com o semelhante.Gilse e Eloi

Leandro e Dani: Precisamos aprender a respeitar as diferenças, conviver com mais fraternidade. É necessário trabalhar com a diversidade a fim de ter noção do todo, incluindo tanto as semelhanças quanto as diferenças. Precisamos também, aos poucos, mudar nossos conceitos do que julgamos ser o certo, o perfeito.

Primeiramente, nós educadores, precisamos rever alguns conceitos sobre as diferenças e utilizar o desenvolvimento de habilidades e competências envolvendo a todos sem segmentar o grupo pelas diferenças.
Gilse Boss e Izamara Monteiro


Também queremos saber isso !!! O que pensamos é que estamos lidando agora com diferenças que não sabemos lidar. A Escola é o primeiro lugar da sociedade que ainda preserva situações onde tenhamos que conviver com as diferenças num grupo e respeitar o coletivo. Para isso precisamos de valores, que nem sempre a família se comprometeu a desenvolver e , em alguns casos, espera que a escola o faça. A professora está também tendo que lidar com essas diferenças nela, com as concepções que vê não serem mais úteis e com as que se apresentam, mas nem sempre a satisfazem. Roseli e Karen

Não podemos mais trabalhar levando em conta somente as semelhanças, o mundo é feito também tem diferenças. Mesmo que não tenhamos
"espaço" precisamos lidar com as diferenças, pois é uma questão de sobrevivência. A inclusão e a mudança prática de postura se fazem necessárias.

LUCIANE E YARA

Sabendo que só existe o diferente a partir do semelhante e vice-versa, acreditamos que quando o respeito, da maneira como o autor conceitua em seu texto, for realmente vivenciado por todos, tanto no contexto familiar, escolar... é que efetivamente se construirá uma sociedade inclusiva.
Cati e Rosangela

Não há como mudar uma cultura da noite para o dia, embora já percebemos muitos avanços na sociedade e nas escolas quanto ao respeito ao diferente. Estão aí os portadores de necessidades especiais participando da vida social, produtiva, esportiva, ... e os alunos com muitas dificuldades sendo acolhidos, respeitados e instrumentalizados nas escolas. O importante para essa nova cultura, devemos respeitar a idade dos alunos, o tempo de aprendizagem cada um, as construções já realizadas, .... Para que tudo isso aconteça, é necessário que cada um faça sua parte: Mantenedora, professores, pais, alunos, comunidade em geral.
Adriana e Marino

O desconhecido no assusta, nos dá medo, um dos passos é proporcionar ao profissional da educação, uma formação continuada, baseada nas diferenças. Porque ninguém gosta do desconhecido. Como trabalhar com alunos portadores de necessidades especiais?
Cinara, Daniela, Vera.

Podemos iniciar valorizando o que cada um tem, suas qualidades, pontos de vistas, interesses, pois assim podem contribuir para o todo e para o próprio desenvolvimento pessoal.

Maria Olivia e Simone


Na atualidade convivemos diariamente com as diferenças. As crianças recebem e convivem perfeitamente com as diferenças. Quanto aos adultos, estes tem que aprender e buscar novos conhecimentos referentes a como melhor lidar com as diferenças. A escola tem que ser um espaço aberto, garantido a qualidade de aprendizagem para todos, independente de suas semelhanças ou diferenças.
Elisabete e Vânia


É fundamental que respeitemos o diferente. A partir daí aceitaremos e buscaremos estratégias para a inclusão. Para que alcancemos os objetivos é necessário também, que todos envolvidos no processo, ou seja, aluno, família, escola e mantenedora façam a sua parte.
Rejane e Tatiana


Ana Claudia e Tatiana:
Não há uma fórmula pronta, é uma luta constante de cada um com seus valores, às vezes nem nos damos conta de quão preconceituosos somos com relação a alguma coisa diferente daquilo que estamos acostumados ou fomos criados. Não é porque é difícil que devemos desistir, pois as mudanças são lentas, mas estão ocorrendo. Temos de nos modificar e espalhar a semente entre aqueles com os quais convivemos. Quebrar valores e regras é difícil, mas não é impossível.


A primeira atitude é mudar as práticas mais comuns desenvolvendo ações inclusivas. Para isso, precisamos refletir sobre o que significam, para nós as semelhanças e as diferenças e nos permitir, talvez, que essa reflexão possibilite uma mudança em favor de uma escola para todos.
PatiV. e Rosana


TAREFA 4-
Conforme o texto, para realizarmos uma escola em outras bases, é importante compreender as diferenças entre o que ela é e aquilo que queremos que ela se torne.
A identidade resulta do modo como combinamos as semelhanças e diferenças pois para o conhecimento ambas são igualmente fundamentais.
Nilva e Madelon
Primeiro devemos acolher as diferenças, para, dessa forma, acontecerem os ajustes de relacionamento automaticamente. Acolher remete à compreensão.
Ivanete e Roges----






Primeiramente deve haver uma predisposição e ter uma visão crítica do que é ser semelhante e diferente. Por fim atualizar-se e buscar possibilidades para lidar com novas situações.external image animais%20merecem.gif
Adilson e Angela----





Eu sou REBELDE!!! Porque o mundo quis assim e não a ESCOLA. external image untitled180dy7ts.jpg
Patrícia – Noite – 09.06.06
Beijinhos Ah!Ah!Ah!

_


O como fazer sempre foi o grande problema. Como colocar em prática os diágnósticos, as constatacoes teoricas ainda é um grande enigma. Acho que estamos numa caminhada, mesmo que lenta, pois já estamos falando do assunto e algumas acoes isoladas já estao acontecendo na sociedade e na amago das instiruicoes escolares.
Fátima - 17.06.06

Análise reflexiva para compreender as diferenças e as semelhanças e relacioná-las nas diferentes situações que se apresentam. A partir disso rever nossos valores (respeito, fraternidade...) e a prática dos mesmos.
Raquel M., Neci, Carla, Cátia, Luana e Gislaine