::Tarefa 1::Tarefa 2::Tarefa 4::Tarefa 5::

Tarefa 3


O autor faz um questionamento "como nos relacionamos com as diferenças?" e aponta algumas possibilidades.

Quais são estas possibilidades? O que você tem a dizer sobre estas relações?


external image diferencas.jpg
Imagem em http://loirasellite.blig.ig.com.br/imagens/diferencas.jpg


::Tarefa proposta em 08/06/06::


Para inserir seus registros, clique em EDIT; faça suas considerações, lembrando de colocar seu nome e a DATA; salve clicando em SAVE.



São duas situações básicas: ou aceita a diferença ou não. Aceitando, pode posicionar-se passivamente ou interagir com ela, acrescentando. Negando, pode simplesmente não querer conhecer ou conhecer a fundo para acabar com ela de uma forma eficaz. Roseli e Karen

Num primeiro momento se exclui até por falta de conhecimento, cometemos o pecado de rotular sem conhecer. Mas na insistência da convivência com o diferente vamos aprendendo a incluí-lo e aceitá-lo no convívio com os demais.
Gilse Boss e Izamara Monteiro

As possibilidades de convivermos com as diferenças são de respeito,de cooperaçao e crescimento.Sendo que estas possibilidades deveriam fazer parte do nosso dia-a-dia,mas na prática geralmente não fazem. Como diz o autor " A cultura da diferença supoe a cultura da fraternidade, em que diversidade,singularidade,diferenças e semelhanças podem conviver em uma inclusão. " Gilse (Tancredo) e Eloi.

Leandro e Dani: Há quatro formas básicas de lidar com as diferenças:
Negamos e ignoramos
Aceitamos sem crítica
Tentamos excluir
Respeitamos e aprendendo com o diferente.
Podemos ter conhecimento do diferente e simplesmente fingirmos que não o estamos vendo, negamos e ignoramos. Podemos aceitar o novo, sem opinar, sem compreender, sem questionar, sem influenciar e ser influenciado. Podemos impor, subordinar esse diferente ao nosso ponto de vista, como sendo o perfeito. Entretanto, se compreendermos o diferente como algo que pode nos acrescentar, ou mesmo tendo consciência de que esse "diferente" é uma escolha do outro que não necessariamente precisa ser mudada, não precisa estar de acordo com a nossa opinião, precisa sim, ser respeitada para que possamos conviver harmonicamente. A união das semelhanças e diferenças permite a melhor compreensão do todo, obtendo resultados positivos.

Temos a possibilidade de negar e ignorar ou aprender a respeitar e valorizar. Isso ocorre porque o respeito é um dos caminhos para se aprender a conviver com as diferenças.Essa é uma grande possibilidade de crescimento.
Suzete Simone e Janete


São duas situações básicas: ou aceita a diferença ou não. Aceitando, pode posicionar-se passivamente ou interagir com ela, acrescentando. Negando, pode simplesmente não querer conhecer ou conhecer a fundo para acabar com ela de uma forma eficaz. Roseli e Karen

· Aprender pouco a pouco respeitar e conviver com as diferenças.
· Preparar o aluno para a inclusão no sentido verdadeiro do termo.
· É preciso a cultura da fraternidade, em que diversidade, singularidade, diferenças e semelhanças possam conviver em uma inclusão.
Lair e Maria Lurdes



Nossa identidade é resultante de como se convive com as diferenças e semelhanças. Podemos utilizar duas formas de nos relacionarmos:
· Excluir tudo o que é diferente, ignorando, substituindo
Outra forma é incluir, reconhecer as diferenças e semelhanças como parte do processo onde o respeito por todos é a única forma de conviver numa sociedade onde as relações estão sujeitas as divergências, a desigualdade e a disputa por um lugar ao sol.
Stela – Rosa


Geovana e Maria Izabel
Nós, atuais educadores somos frutos da educação que não atendia concretamente aos diferentes. Hoje, estudamos com o objetivo principal de nos prepararmos para conhecer, entender, auxiliar para que todos sintam-se capazes e possam agir com naturalidade na busca e realização de seus ideais, tendo presente os valores humanos.

O autor aponta duas estratégias interessante em relação as diferenças: ou a negação ou a aceitação. Ou ignoramos ou respeitamos. Na nossa opinião, na escola nós fazemos um exercício diário de aprender a respeitar o outro, pois precisamos aceitar, entender e conviver com toda a diversidade que encontramos no ambiente escolar. Márcia e Zelia


Para poder se relacionar com as diferenças algumas pessoas aceitam sem questionar, outras excluem, fazem que não vêem. No entanto uma outra forma é aprender a respeitar para conviver com as diferenças.

LUCIANE E YARA

O autor aponta formas de nos relacionarmos com a diferença: ou a negamos e ignoramos, ou aceitamos o diferente, o novo... Outra forma de nos relacionarmos com a diferença é converter, ou seja, como a transformo. Mas a principal possibilidade que o autor sugere é o respeito. O respeito é um dos caminhos para aprender a conviver com as diferenças e, quem sabe preparar para uma inclusão no sentido verdadeiro do termo.

Cati e Rosângela


De acordo com o autor, podemos nos relacionar com as diferenças de várias maneiras: negando, ignorando, aceitando, excluindo, substituindo, convertendo ou respeitando.
Devemos aprender a conviver com as diferenças respeitando-as e tendo postura de desenvolver ações de comprometimento com a inclusão. É a cultura da fraternidade em que semelhantes e diferentes convivem em uma inclusão.

Maria Olivia e Simone

Ou eu aceito as diferenças ou eu as nego. Se eu respeito as diferenças, para mim é indiferente ter ou não a diferença; se eu não respeito as diferenças, eu não a aceito e não acredito, simplesmente a ignoro.
Elisabete e Vania

Podemos negar o diferente e ignorá-lo.
Podemos aceitar a diferença, mas mantendo a dependência.
Ou excluímos, porque o diferente não se encaixa.
Ou ainda substituímos, viramos aquilo.
Precisamos aprender a respeitar o diferente para favorecer o convívio fraternal.
Cinara, Daniela, Vera.

O autor diz que " ou negamos e ignoramos, ou aceitamos, ou excluímos, ou convertemos ou aprendemos a respeitar. O respeito é um caminho para conviver com as diferenças, não basta apenas respeitar. Temos que criar estratégias de inclusão.
" A cultura da diferença supõe a cultura da fraternidade. "
Tatiana e Rejane

Ou a negamos e ignoramos, ou aceitamos o diferente, o novo, o que está fora. Ou tentamos excluir, porque o novo não entra na caixa, no conceito, não entra no conhecido; ou então o substituímos, viramos aquilo.
Uma outra forma é aprender a respeitar, com carinho, com respeito às diferenças. Se há respeito pela diferença, somos desafiados a desenvolver ações mais responsáveis ou comprometidas com a inclusão. Não podemos retroceder a esquemas e ações padronizadas, como, por exemplo, quadro pessoal padronizado nas escolas e redução de ações especializadas que ajudariam a incluir o diferente nas escolas.
Adriana e Marino

Existem várias formas de nos relacionarmos com as diferenças: negar/ignorar, converter/reconhecer, e ou aprender a respeitar/conviver.
Acreditamos que a melhor forma de nos relacionarmos com as diferenças é aprender a respeitar e pouco a pouco conviver com isso. Dessa forma, estaremos desenvolvendo ações inclusivas.

PatiV. e Rosana


Para o autor: negamos, ignoramos, aceitamos ou excluímos.
Estamos em dupla e vamos colocar 2 opiniões, respeitando as "diferenças" de pensamento e experiências:
1. eu tenho preconceito, algumas pessoas são diferentes e outras não conseguem porque tem algumas diferenças sérias;
2. ao longo dos anos eu tenho aprendido muito mais com eles do que eles comigo.
Marli e Monica


Ana Claudia e Tatiana:
Ou negamos e ignoramos as diferenças ou as aceitamos sem questionamentos. Outra maneira é que se "aceita", tentando mudar o que não se enquadra em nossos padrões.
A possibilidade de superar isso é aprender a respeitar, mas um respeito que vem da livre escolha, não do comodismo. É só assim que se pode aceitar de verdade o diferente.


TAREFA 3 –
Segundo o autor nos relacionamos com as diferenças usando diferentes estratégias:
Negamos e ignoramos; aceitamos o diferente sem críticas; tentamos excluir;
o substituímos ; convertemos ou aprendemos a respeitar.
Concordamos com o autor quando aponta que a cultura da diferença supõe a cultura da fraternidade, em que diversidade, singularidade, diferenças e semelhanças podem conviver em uma inclusão, formando um todo.
Nilva e Madelon



Tarefa3
Fátima Regina Fagundes Ivone Brandt
O respeito é um dos caminhos para se aprender a conviver com as diferenças.
Respeitar implica em muitas coisas e uma delas “Em se colocar no lugar do outro”. Aprender e mudar concepções, posturas, olhares, gestos, expressam relações horizontais e da nossa prática.


Possibilidades: Negação, Ignorar, Aceitação, Conversão e Respeitar. Cada indivíduo responde de uma forma diferente em cada situação, assim em certas ocasiões pode aceitar ou negar uma diferença. O ideal seria respeitar as diferenças e lidar com elas de maneira natural.
Ivanete e Roges----






As possibilidades são negá-las e ignorá-las ou aceitar passivamente; converter e aprender a respeitar.
As pessoas deveriam aprender a respeitar sem deixar de fazer uso da crítica . Como o próprio autor diz “ ...o respeito é um dos caminhos para se aprender a conviver com as diferenças...”
Adilson e Angela external image 650-Animais.jpg


Ou negamos e ignoramos ou aceitamos o diferente ou ainda tentamos excluir, muitas vezes não conseguimos trabalhar com o diferente, pois esse modelo nos incomoda, devido a um padrão cultural estabelecido.
Rose e Kiki----




Preferimos conviver com as diferenças do que excluí-las, pois elas são o nosso propósito existencial, embora nos causem, em alguns momentos, situações desconfortáveis no confronto inicial. Com a convivência, acabamos gradativamente interagindo, havendo um entrelaçamento involuntário que resulta no crescimento emocional compartilhado. Elsy e Patrícia – Noite – 09.06.06

Pertencemos a uma cultura de semelhanças e temos dificuldades em lidar com as diferenças. As possibilidades que se apresentam são: negamos ou ignoramos, ou aceitamos o diferente sem crítica. Precisamos conhecer o que é semelhança e diferença e aprender a respeitar, a conviver com as diferenças e aí sim preparar para uma inclusão no sentido verdadeiro.
Raquel M., Neci, Cátia, Carla, Luana e Gislaine